50. A Poção de Superpoder

Escrito por C.H. Trengove

Sinopse oficial
Abutre inventa uma Poção de Superpoder, que lhe dá grandes poderes mágicos, permitindo-lhe hipnotizar e derrotar Tygra. Abutre faz um acordo com a Mumm-Ra: ele compartilhará a poção em troca do segredo da vida eterna. O Mutante afirma sua autoridade sobre os outros colegas, colocando Escamoso em transe. Ele ataca e derrota Panthro enquanto este procura por Tygra. Escamoso se recupera e ordena aos Mutantes que procurem a poção. À medida que a descobrem, Mumm-Ra se materializa e confisca o frasco. Enquanto isso, Abutre desafia Lion-O e está prestes a derrotá-lo quando seus superpoderes se esgotam. Mumm-Ra aparece e nega o pedido de Abutre por outra dose. Lion-O destrói a poção e Abutre se vai, derrotado.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
Abutre se torna um inimigo formidável contra os ThunderCats quando inventa uma Poção de Superpoder. Potencializado com seus efeitos, ele faz um pacto com Mumm-Ra para destruir os Mutantes e os ThunderCats em troca do segredo da vida eterna. No entanto, seu orgulho e sua ambição são sua ruína, quando os efeitos da poção e seu poder provam ser temporários. Mumm-Ra acaba por ser um aliado não confiável e egoísta, que retém a poção restante dele. Reduzido de volta aos limites de seus poderes normais, Abutre é derrotado por Lion-O e os ThunderCats.

Abutre é culpado de um orgulho e uma inflação excessiva de suas habilidades e importância quando se estende além da normalidade. Iludido ao pensar que ele é permanentemente mais poderoso do que os outros, ele age com independência egoísta e antagônica, voltando-se contra seus amigos, os Mutantes, e negociando uma aliança com Mumm-Ra. Como a aliança não se baseia em honra ou amizade, Abutre é deixado à sua própria sorte quando os efeitos da poção desaparecem, e ele recebe uma lição difícil.

O impulso de exagerar nossa opinião sobre nós mesmos e nos diferenciarmos dos outros é comum quando enfrentamos algo que conseguimos. Por exemplo, quando vencemos uma competição ou nos destacamos em um exame, nos tornamos tão seguros de que podemos comparar-nos de maneira irrealista com os outros e pensar que somos melhores do que eles em todas as coisas, e julgamos falsamente que nunca precisaremos da ajuda deles. Mas o tempo tem uma maneira de equilibrar essas opiniões e nos ensinar a sermos mais realistas sobre a avaliação de nossas próprias habilidades e de outras pessoas. Isso se dá o nome de humildade. A verdade é que não nos destacamos em tudo o tempo todo e na vida suportaremos sucessos e fracassos, vencendo e perdendo, sendo competentes em algumas áreas e menos em outras. Parte da maturidade é aprender esta lição. É bom ter um senso adequado de nosso verdadeiro valor, mas a tentativa de nos ver incondicionalmente melhores que os outros é injustificada. Fazemos parte de uma comunidade de pessoas e cada um de nós tem talentos e habilidades únicos.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Tygra: Francisco Barbosa
Snarf: Élcio Romar
Abutre: Luiz Feier Motta
Escamoso: André Luiz “Chapéu”
Simiano: Paulo Flores
Chacal: Older Cazarré
Mumm-Ra: Silvio Navas

Locais em destaque: Castelo Plun-Darr, Pirâmide Negra, Floresta dos Unicórnios

Veículos: ThunderTanque

Comentário oficial
Desde o momento em que estreou em “O Senhor das Neves”, Abutre se estabeleceu como um dos personagens mais intrigantes dos Mutantes. Ao contrário dos outros três principais Mutantes, aos quais somos apresentados no piloto da série, a chegada de Abutre ao Terceiro Mundo está envolta em mistério, embora se possa argumentar que isso é realmente uma falha de narrativa por parte dos escritores. Não explicar como um personagem secundário passou a ser uma figura tão proeminente nas aventuras dos ThunderCats, sem explicação qualquer, pode ser fraco, mas não tira nada do personagem. Ao longo da série, Abutre emergiu como favorito dos fãs, graças em grande parte ao seu desejo constante de trair os outros Mutantes e tomar o poder para si mesmo, e esse episódio marca a primeira vez que ele tenta atacar por conta própria.

Parte do que torna esse episódio, relativamente simples, tão divertido são as sementes do desejo de Abutre de se estabelecer como um poder independente no Terceiro Mundo. Isso já foi proposto antes, semeadas em episódios anteriores, desde que ele emergiu como personagem principal da série. Até esse episódio, foi visto expressando insatisfação com o que considera os intelectos inferiores de seus companheiros Mutantes, e tudo isso parece vir à tona em “A Poção de Superpoder. É esse sentimento de ambição implacável, desmotivada e nua que faz de Abutre um personagem tão interessante, e esse episódio definiria bem o cenário da parceria dele com os Lunatacks na segunda temporada de ThunderCats.

Correndo o risco de afirmar o óbvio, seria justo dizer que Abutre carrega todo esse episódio, pois, a história em torno dele, apesar de muito divertida por causa do personagem que destaca, é realmente uma história muito básica e direta. O que faz funcionar de maneira tão excelente é a presença dominante de Abutre na tela, auxiliado em grande parte pela excelente e dramática dublagem de Luiz Feier Motta no protagonista do episódio. No final da primeira temporada, parecia estar na moda para todos os Mutantes (exceto Escamoso, que estava relativamente contente com sua sorte na vida como líder dos Mutantes) tentar atacar por conta própria, tomar o poder, e/ou fazer uma barganha independente com Mumm-Ra. Simiano tentou em “Barganha de Simiano,”e Chacal em “Rebelião de Chacal”. O que torna a história de Abutre tão convincente é o fato de ele ter um caráter mal, implacável e impiedoso, que faz de “A Poção de Superpoder” uma reviravolta muito crível para o personagem, e dessa maneira o enredo direto é levado brilhantemente pelo vilão destacado.

Embora a animação para este episódio não esteja entre as melhores da série, no entanto, tanto a direção visual das cenas quanto as excelentes sequências de ação realmente elevam esse episódio acima de outros que foram animados de maneira semelhante, permitindo que o público negligencie os aspectos angulares e modelos de personagens simples em favor dos outros grandes aspectos visuais que o episódio traz para a tela. O que não quer dizer que este episódio seja um clássico. De fato, há vários aspectos que poderiam ser melhorados, além de acrescentar algum elemento adicional ao enredo para torná-lo mais interessante. No entanto, isso não obstante, é uma adição muito agradável ao cânone de ThunderCats, e que estabelece com agrado Abutre como um dos personagens a serem assistidos em futuros episódios.

Curiosidades

  • Neste episódio, finalmente vemos Abutre voando. Embora nos quadrinhos dos EUA e do Reino Unido Abutre demonstrasse a capacidade de voar naturalmente, na série de desenhos animados ele aparentemente precisa dos efeitos de sua Poção de Superpoder para conseguir tal feito;
  • Quando Abutre ataca Tygra, a animação do thundercat se tornando invisível é reutilizada do episódio “Peste Mecânica”;
  • Quando a segunda metade da primeira temporada de ThunderCats foi transmitida no Reino Unido, entre 1990 e 1991, várias cenas de luta de Panthro foram cortadas, provavelmente devido ao uso da arma proibida, o nunchaku. Esses cortes seguiram edições semelhantes da série original de desenhos animados Tartarugas Ninja, que estreou no Reino Unido no final de 1989. Este episódio é um exemplo dessa edição;
  • Um erro de animação neste episódio mostra Mumm-Ra descendo para pegar a garrafa de Poção de Escamoso, o que ele faz com sucesso – e ainda assim, quando Mumm-Ra foge, Escamoso ainda está segurando a garrafa;
  • Em sua cena final de luta com Lion-O, Abutre tenta derrotar o thundercat com um poderoso anel. Nenhuma explicação é dada sobre por que Abutre está usando o anel, de onde ele vem ou como ele se relaciona com os poderes que ele adquiriu ao ingerir sua Poção de Superpoder. No entanto, de várias maneiras, o anel e o poder que ele exibe são uma homenagem ao super-herói Lanterna Verde da DC Comics;
  • Embora ela ainda apareça nos créditos finais, este é o primeiro episódio do ThunderCats em que Lynne Lipton não expressa um único personagem – na verdade, este é o primeiro episódio do programa em que nenhuma personagem feminina aparece.

Texto extraído de thundercats.org com tradução, complementos e adaptações de Luciano Marzocca