20. Mongor

Escrito por Peter Lawrence

Sinopse oficial
Wilykat e Wilykit exploram as Ruínas do Templo. Eles movem uma pedra hexagonal e inadvertidamente libertam Mongor, a imagem externa do Medo. Eles são repreendidos por liberar o monstro e fogem da Toca. Os outros ThunderCats se separam para encontrá-los. Mongor cresce em poder e tamanho enquanto ele assola toda a terra. Ele encontra Tygra e o enrola em uma estrutura geométrica feita com a própria boleadeira. Ele captura Cheetara em um campo de força em forma de rede e ancora as pontas das ombreiras da Panthro no chão. Wilykat e Wilykit retornam às Ruínas do Templo e estudam os hieróglifos na rocha. Eles aprendem que Mongor precisa de medo para manter seu poder e pode ser derrotado se você não olhar nos olhos dele. Eles contam sua descoberta para Lion-O, que destrói o poder do Monstro, refletindo seus campos de força. Cheetara, Tygra e Panthro são livres de suas restrições. Lion_o não tem mais medo de Mongor e o envia de volta para sua prisão, que é selada para sempre.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
Neste episódio, Mongor aparece como uma criatura que representa o medo e os elementos negativos destrutivos dessa emoção. Lion-O, seguindo o conselho de WilyKat e WilyKit que descobriram essa antiga sabedoria, aprende a não deixar o medo se alimentar e se tornar mais perigoso e invencível. Usando seus conselhos, ele é capaz de desviar a energia de Mongor e sobrepujar a emoção. Não mais temeroso, Lion-O se torna invulnerável a Mongor e é capaz de enfrentá-lo e derrotá-lo. WilyKat e WilyKit encontram medo de um tipo diferente, um respeito positivo pela raiva dos ThunderCats adultos. Mesmo que Snarf tenha que repreender os ThunderCats de repreenderem com demasiada severidade, WilyKat e WilyKit reconhecem que a raiva dos mais velhos é justificada por causa de sua própria desventura. No final, o reconhecimento de culpabilidade e crédito por parte dos ThunderCats, mais jovens e mais velhos traz uma reconciliação e expressão de alívio pela derrota de Mongor.

Uma capacidade importante para as crianças atingirem é a de diferenciar tipos de sentimentos positivos e negativos, como os dois tipos de medo exibidos nesse episódio. A capacidade de sintonizar-se realisticamente com os sentimentos internos é um elemento importante da sensibilidade interpessoal. Reconhecer quando uma emoção é apropriada e realista e quando ela é injustificada e desproporcional à realidade ajuda as crianças a levar os sentimentos em conta em suas ações e comportamentos, em vez de evitá-las ou ser subjugadas por elas.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Tygra: Ricardo Juarez
Cheetara: Carmen Sheila
Wilykit: Marisa Leal
Wilykat: Nizo Neto
Snarf: Élcio Romar
Mongor: Júlio Cezar

Locais em destaque: Toca dos Gatos, Floresta, Ruínas do Templo, Pirâmide Negra.

Comentário oficial
Embora possa ser argumentado que os Thunderkittens, Wilykit e Wilykat, foram dois dos personagens mais irritantes da série ThunderCats, no entanto, com episódios como este a sua presença serve como um dispositivo de trama muito realista e plausível, permitindo uma história bastante séria e imaginativa para desdobrar. Que um episódio construído em torno do conceito de ThunderCats sendo subjugado pelo medo deve centrar tão firmemente em personagens mais jovens da série é outro elemento inteligente deste episódio, não menos importante na maneira que os ThunderKittens são capazes de ajudar a salvar o dia na conclusão do episódio.

Toda a construção desse episódio é extremamente bem executada. Ao invés de construir a aparência de Mongor em vários minutos, somos tratados com sua primeira aparição nos primeiros segundos da história. Embora seu design de personagem e aparência geral tivessem que ser atenuados para o público-alvo do programa, não é difícil imaginar Mongor um tanto satânico como uma criatura que nasceu para gerar medo. Embora quando olhado desapaixonadamente, ele é basicamente apenas um gigante, humanoide, de cor azul, com expressões temíveis e linguagem corporal ameaçadora, e juntamente com seu design de personagem, cria um caráter formidável!

Obviamente, os ThunderCats em que este episódio mais se concentram são Wilykit e Wilykat. Embora em alguns casos, particularmente mais tarde na série, esse enfoque enfraqueça um episódio, no caso de “Mongor” ele realmente o torna mais forte. Um dos elementos mais inteligentes deste episódio é como o escritor Peter Lawrence usa com sucesso a curiosidade dos ThunderKittens para desencadear uma ameaça e – uma vez que os outros ThunderCats são subjugados por esse tratamento – ajudam a salvar o dia, corrigindo assim seu erro. Isso também envia uma mensagem para o público jovem da série de que a bravura não é exclusiva dos adultos. Pelo contrário, é a bravura dos personagens mais jovens do programa que permite a Lion-O derrotar a ameaça de Mongor.

Os diálogos neste episódio são cheios de contrastes. Em alguns, os ThunderCats se sentem levemente forçados quando interagem uns com os outros. Em outros, o próprio Mongor é altamente eloquente e emotivo, o que realmente ajuda a elogiar sua temível presença. A animação neste episódio é também uma espécie de saco misto, com algumas fotos e cenas realmente bonitas e memoráveis ​​misturadas com uma animação um tanto plana. No entanto, essas pequenas falhas são ofuscadas pelo que é uma grande história criativa, com um personagem convidado visualmente impressionante e altamente memorável, e como tal, este episódio é recomendado!

Escrito por Chris (He-Fan)

Curiosidades

  • Mongor é um dos três únicos personagens a serem lançados em forma de figura de ação pela empresa de brinquedos LJN depois de apenas uma aparição na série, sendo os outros dois o Monstro do Fosso Astral e o Linguassauro.
  • Mesmo que a aparência de desenho animado de Mongor seja um tanto superficial, seu boneco de ação ficou mais volumoso e de aparência mais substantiva.
  • Este episódio é um dos poucos que apresentam Panthro usando seus espigões. Infelizmente, Mongor acaba usando-os contra ele!
  • Mongor chega telepaticamente a Mumm-Ra, referindo-se a si mesmo como “servo” do Sacerdote do Mal, e Mumm-Ra alega ter procurado sem sucesso a prisão de Mongor por três séculos.

Texto extraído de thundercats.org com tradução e adaptações de Luciano Marzocca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *