21. Retorno a Thundera

Escrito por Bob Haney

Sinopse oficial
Os Mutantes criam o Guerreiro Robô, um robô de guerra Plun-Darriano, para destruir a Toca dos Gatos. Sem saber disso, Lion-O entra no holograma da Cápsula do Tempo e viaja de volta no tempo e espaço para seu planeta natal, Thundera. Ele chega no dia anterior à destruição do planeta e tudo está em crise. Lion-O se reencontra com seu animal de estimação de infância, Kano, que o leva a seu pai, já cego, Claud-Us. Lion-O luta contra Escamoso e Abutre, que ameaçavam Claud-Us pelos planos roubados do Guerreiro. Claud-Us dá os planos a Lion-O e permanece em Thundera quando Lion-O viaja de volta ao Terceiro Mundo através do holograma. Lá, ele encontra os ThunderCats lutando contra o Guerreiro Robô. Lion-O utiliza os planos secretos recebidos para perfurar o disco absorvente da máquina, provocando curto-circuito e destruindo-o completamente.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
Lion-O, como Senhor dos ThunderCats, mostra curiosidade ao saber de sua herança. Ao viajar de volta pela Cápsula do Tempo, ele procura aprender sobre a cultura de seus ancestrais. Foi essa cultura que gerou o código pelo qual ele e os outros ThunderCats vivem e que serve como força de sustentação. O interesse e a jornada do Lion-O são recompensados ​​com algum conhecimento técnico e uma lição. Os planos do Guerreiro Robô o ajudam a derrotar os planos dos Mutantes de destruir os ThunderCats. A lição é que a história pode ser um professor significativo. A consciência do patrimônio de uma pessoa e os eventos que moldaram o presente podem nos ajudar a compreender e viver no presente e evitar erros na construção de um futuro melhor.

Ao procurar descobrir sua herança, Lion-O está confirmando sua identidade como ThunderCat. Sua identidade é socialmente concedida, socialmente sustentada e socialmente transformada. É o processo de socialização pelo qual os indivíduos se preparam para os papéis que desempenharão na sociedade. As crianças tornam-se socializadas por várias agentes dentro da sociedade, como a família, grupos de semelhantes, a mídia e o sistema escolar. O início da apreciação dos papéis pela criança é alcançado em suas interações com adultos e colegas, pois ela percebe que diferentes papéis são exigidos em diferentes contextos, e aprende a reconhecer as expectativas dos outros em seu próprio comportamento.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Tygra: Ricardo Juarez
Cheetara: Carmen Sheila
Wilykit: Marisa Leal
Wilykat: Nizo Neto
Snarf: Élcio Romar
Thunderianos: N/C
Kano: Apenas rugidos e grunhidos
Claud-Us: Dario Lourenço
Jaga: Garcia Neto
Mumm-Ra: Sílvio Navas
Escamoso: André Luiz “Chapéu”
Simiano: Paulo Flores
Chacal: Older Cazarré
Abutre: Luiz Feier Motta

Veículos em destaque: Guerreiro Robô

Locais em destaque: Toca dos Gatos, Castelo Plun-Darr

Comentário oficial
Eu não faço segredo do fato de que, mesmo que eu ame a série ThunderCats como um todo, minha paixão absoluta e número um pelo show vem de sua primeira temporada. Embora tenha seus críticos, para mim, a primeira temporada de ThunderCats foi uma junção dos vários elementos necessários para fazer o perfeito show animado de ação e aventura na década de 1980: excelente escrita com desenvolvimento de personagens bom e direto, animação de alta qualidade, memorável e sequências de ação fluida e uma injeção saudável de moralidade e valores pró-sociais dentro dos episódios. Há certos episódios da série ThunderCats que definem esses vários elementos e, em seguida, alguns que parecem mostrar muitos ou todos eles. Este episódio é um deles e, como tal, serve como um dos episódios de destaque da primeira temporada do programa.

Essa é a força deste episódio que a maior reclamação de enredo precisa sair do caminho mais cedo. Em nenhum momento durante o episódio é dada uma explicação de como ser pego na projeção holográfica de Thundera da Cápsula do Tempo poderia fazer com que Lion-O viajasse de volta ao passado de seu planeta natal, por pura coincidência, no dia anterior ao seu planeta explodir. Obviamente, do ponto de vista da história, escolher essa data é a escolha óbvia e, ao ver algumas das cenas espetaculares que se seguem, também é a melhor escolha; então eu posso certamente perdoar essa coincidência pelos elementos da história que ela desbloqueia. Mas, mesmo assim, parece um descuido da parte do escritor Bob Haney que como Lion-O acabou em Thundera não é explicado com mais clareza.

Deixando isso de lado, o episódio está cheio de muitos eventos memoráveis. O Guerreiro Robô Plun-Darriano é uma criação brilhante, mostrando não apenas os Mutantes fazendo uso de sua recente vantagem tecnológica, mas também mostrando a raça de guerra que os Mutantes sempre foram. O fato de o Guerreiro causar danos tão abrangentes à Toca dos Gatos (até certo ponto não ser visto novamente até que seja atacado pelo gigante Mumm-Ra em “O Último Dia”) acrescenta ainda mais uma sensação de ameaça à criatura, e a extensão faz com que Mumm-Ra e os Mutantes pareçam mais ameaçadores, colocando-os em pé de igualdade com seus adversários felinos.

Ver Lion-O em Thundera é uma jogada inteligente, porque permite que Lion-O (que evidentemente tem poucas lembranças de seu planeta natal apesar de ter chegado à adolescência quando foi forçado a sair)  veja Thundera através dos olhos dos espectadores. Uma sensação de espanto de olhos arregalados para tudo ao seu redor. Adicionar o elemento de perigo que se aproxima pela destruição iminente do planeta acrescenta outro sentimento de ameaça ao episódio, e também serve para desbloquear o dispositivo de enredo que responde a uma antiga pergunta – se Jaga é o guardião do Lion-O, e Lion-O é ser o Senhor dos ThunderCats hereditário, quem era o pai de Lion-O e o que aconteceu com ele? Por que ele não estava na Nave Capitânia com os outros ThunderCats? Esta pergunta é respondida de uma maneira plausível e emocional, e as cenas de Lion-O com Claud-Us neste episódio são algumas das mais comoventes e memoráveis, não apenas desta parte em particular, mas de toda a série.

O personagem do próprio Claud-Us é extremamente bem pensado. Embora o instinto possa ter sido criar simplesmente uma versão mais antiga e mais sábia do Lion-O, completa com força e ousadia, em vez disso Bob Haney entra na direção oposta e cria um Lorde dos ThunderCats um tanto frágil e deficiente – alguém que nós aprendemos, em virtude de ele ter perdido sua visão lutando contra os Mutantes, claramente era um guerreiro no passado. A coisa toda é executada com perfeição e serve apenas para construir o personagem de Lion-O no processo.

Mesmo quando o Lion-O retorna ao Thundera, o episódio só reverte para fazer o que ele faz melhor: fornecer aos ThunderCats (particularmente Lion-O) uma sequência de ação empolgante e desafiadora, mas desta vez amarrando a solução ao problema dos ThunderCats diretamente na jornada do Lion-O de volta a Thundera e sua recuperação dos planos do Guerreiro com ajuda exclusiva de Claud-Us. Embora se possa argumentar que alguns desses pontos são um pouco convenientes, permitir alguma suspensão da descrença aumenta muito o aspecto circular desses eventos, adicionando um grande significado à aventura de viagem no tempo de Lion-O, em vez de apenas permitir que seja um evento aleatório com seu próprio enredo e dilema independentes.

Eu poderia escrever mais sobre este episódio, elogiando sua grande profundidade e brilho. Este episódio é um dos favoritos dos fãs, e não é difícil perceber porquê. Com tudo o que este episódio tem a oferecer, este é um que, de ThunderCats, faz os restantes 129 episódios como um todo parecererem mais fracos. Um clássico puro, desenfreado, sem questionamento.

Escrito por Chris (He-Fan)

Curiosidades

  • Este episódio é uma continuação de “A Cápsula do Tempo”, que apareceu alguns episódios anteriores. No entanto, enquanto esse episódio foi escrito por Peter Lawrence, “Retorno a Thundera” foi escrito por Bob Haney.
  • Este episódio apresenta a segunda aparição de Abutren. Como sua primeira aparição em “Senhor das Neves”, neste episódio, Abutre é mais uma vez interpretado por Bob McFadden! No entanto, para essa aparição, sua voz é um pouco mais profunda e mais próxima da voz que seria dada por seu dublador habitual, Earl Hammond.
  • Neste episódio, somos apresentados ao pai de Lion-O, Claud-Us. Enquanto este episódio sugere, em sua cena final em particular, que Claud-Us morreu quando Thundera explodiu, ele de fato faria uma aparição de retorno em “Shadowmaster”, no qual é revelado que ele foi mantido prisioneiro pelo vilão titular desde a destruição do Thundera.
  • Apesar de Claud-Us ter sobrevivido à explosão de Thundera, nenhuma explicação é dada sobre o que aconteceu com o animal de estimação dele e de Lion-O, Kano. Infelizmente, é provável que Kano tenha morrido quando Thundera foi destruído.
  • Apesar de ser um ponto central deste episódio, nenhuma explicação na tela é dada sobre como ser pego pela projeção da Cápsula do Tempo fez com que Lion-O viajasse de volta no tempo para Thundera. A especulação é de que o holograma, a condição emocional nostálgica de Lion-O e os poderes do Olho de Thundera tenham reagido.

Texto extraído de thundercats.org com tradução e adaptações de Luciano Marzocca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *