17. A Espada Justiceira

Escrito por Bob Haney

Sinopse oficial
Mumm-Ra se transforma em um anão chamado Grygory Grygion, convencendo Lion-O a atacar Tygra sem saber que era ele. No processo, a Espada Justiceira se parte. Jaga diz a eles que o combate entre dois ThunderCats traz a Maldição de Balthaz, tornando a Espada quebrada impotente. Ro-Ber-Bill os guia para um mercenário, o Incandescente, que [re]forja a Espada com o Fogo das Estrelas no coração do vulcão. O Incandescente se volta contra os ThunderCats, no entanto, e o ThunderTanque tem que perfurar o vulcão para salvar Lion-O e a renovada Espada Justiceira. Com raiva, o Incandescente explode o vulcão. Lion-O usa o campo de força da Espada para proteger o tanque das pedras de fogo enquanto eles rumam para a segurança.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
Lion-O, enganado por Mumm-Ra, age instintivamente e impulsivamente ao atacar Tygra, que ele acha ser um ladrão. Percebendo as consequências trágicas, ele admite a Jaga que deveria ter tido tempo para reflexão antes de agir. Em contraste com sua ação impulsiva, estão sua persistência calculada e sua relutância em desistir da tarefa de localizar a estrela anã. Essas ações, inspiradas pelo planejamento e motivação, levam a uma bem sucedida reforma e recuperação da Espada Justiceira.

As crianças diferem em relação ao reflexo da impulsividade que exibem ao resolver problemas. Algumas crianças são impulsivas ao agir de acordo com o primeiro pensamento, sem considerar sua adequação geral. Outras que são reflexivas demoram mais tempo para avaliar a exatidão de suas decisões. Crianças com problemas acadêmicos são mais propensas a serem impulsivas do que aquelas que são academicamente bem-sucedidas. As últimas são mais confiantes e têm altos padrões de sucesso e acreditam que vale a pena avaliar a validade de cada solução. Embora a tendência de ser reflexiva ou impulsiva apresente estabilidade moderada, ela pode ser modificada. Crianças que são extremamente impulsivas devem ser ensinadas a considerar suas respostas e se preocupar com erros. (Mussen, 1984)

MUSSEN, P. H., Conger, J. J., Kagan, J., & Huston, A. C. (1984). Child Development and Personality (6th Ed.) (pp. 250-253). New York: Harper & Row.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Tygra: Ricardo Juarez
Cheetara: Carmen Sheila
Snarf: Élcio Romar
Jaga: Garcia Neto
Mumm-Ra: Silvio Navas
Gregory Gregyan: Silvio Navas
Incandescente: Flávio Colatrello Jr.
Ro-Ber-Bill: Nelson Batista

Veículo em destaque:  Thundertanque.

Locais em destaque: Toca dos Gatos, Vulcão Lar do Incandescente, Bosque da Meia-Noite, Cavernas dos Anões e dos Gigantes.

Comentário oficial
Tal é a lealdade e vínculo entre os ThunderCats que uma das coisas mais chocantes concebíveis é o pensamento deles lutando entre si. Embora através de vários meios isso aconteça muito ocasionalmente dentro da série (mais notavelmente em “Catfight”), raramente tem consequências mais surpreendentes e dramáticas do que neste episódio.

Embora, aparentemente, seja um episódio sobre a destruição (temporária) da Espada Justiceira, na realidade, este episódio é mais sobre o desenvolvimento e a construção do caráter de Lion-O. Nos primeiros episódios da série, vemos Lion-O crescendo muito lentamente em seu papel de Senhor dos ThunderCats, começando como um menino preso no corpo de um homem, ansioso para provar a si mesmo e cheio de orgulho de leão chegando às vezes na fronteira com a arrogância. Ao longo da série até agora, vimos o Lion-O amadurecer em mais do que um líder e se tornar gradualmente mais à vontade com os outros  ThunderCats, todos mais velhos, que vêm vê-lo mais como um igual e não como o pré-líder adolescente cujo desenvolvimento lhes foi confiado. No entanto, este episódio, de muitas maneiras, fornece um bom teste para onde a maturidade da Lion-O está neste ponto da série; pois, imbuído de um senso de moralidade e um desejo de ajudar alguém que ele percebe como uma vítima simpática e indefesa, Lion-O ataca sem pensar, e ao fazê-lo, comete indiscutivelmente o maior crime contra o Código de Thundera – ele ataca outro ThunderCat!

Que usar o Olho de Thundera para atacar um companheiro ThunderCat deve trazer uma maldição como a que rouba da Espada Justiceira seu poder é um artifício muito inteligente, porque serve como um catalisador para focar a atenção do público no próprio elemento central dos personagens dos ThunderCats: seu senso de família, de responsabilidade e do caráter nobre, mas imperfeito, de Lion-O, cujo desenvolvimento é o tema central de muitos desses primeiros episódios.

Este episódio também serve como uma ótima vitrine para a própria Espada Justiceira, pois, embora não exiba a mesma sensibilidade que mostraria em outras partes, ela mostra o que é uma parte central das vidas dos ThunderCats. Na verdade, elas, a Espada e o Olho. De muitas maneiras isso poderia ter sido mostrado ainda mais se os próprios ThunderCats tivessem demonstrado alguma reação física ao dano da Espada, como visto em “Excalibur”, quando o Olho de Thundera é mortalmente ferido. No entanto, parece que os próprios ThunderCats são afetados apenas quando o próprio Olho, sendo a fonte de seu poder, é danificado, não apenas quando a Espada Justiceira é danificada. Isso realmente faz sentido, implicando que a Espada é apenas uma ferramenta para o poder do Olho de Thundera. Danos à Espada impedem que o Olho de Thundera manifeste seus poderes, mas não transfere automaticamente dano ao Olho em si, ou aos ThunderCats por sua vez.

Este episódio é também um excelente meio para mostrar Cheetara, ainda sublinhando a maneira brilhante e perspicaz que os escritores lidam com tal personagem. Neste episódio, apesar de sua persona contínua como uma mulher guerreira felina, Cheetara mostra uma fraqueza (estereotipada) feminina pela beleza do ouro. Apesar de ser ridicularizado por Panthro como “lixo” – uma avaliação masculina estereotipada, pode-se argumentar – o deslumbrante metal atrai Cheetara, e seu desrespeito ao escárnio de Panthro consegue salvar o dia; ela salva alguns quilos de ouro e restaura os poderes do Incandescente.

Como já disse antes, neste desenvolvimento da série ThunderCats há muito poucos episódios fracos, e este tem sido um dos meus favoritos. Demonstrando a maturidade (ou ainda a falta da mesma) do personagem principal da série, e criando uma história cativante em torno disso, para mim este episódio brilha como a substância que recebeu o nome. Em suma, “A Espada Justiceira” é puro ouro narrativo!

Escrito por Chris (He-Fan)

Curiosidades

  • Apesar do fato de que várias aventuras ThunderCats ocorreram desde então, este episódio, no entanto, é uma sequência de “O Senhor das Neves”. Não por acaso, também é o segundo roteiro do ThunderCats escrito por Bob Haney, “O Senhor das Neves” sendo o primeiro.
  • Ao descobrir que foi enganado para lutar contra Lion-O, Tygra exclama “pelos doze mares de Thundera!”, Revelando assim que Thundera deve ter tido doze mares.
  • Este episódio marca a primeira das quatro ocasiões (e a única vez na primeira temporada) em que a lâmina da Espada Justiceira é quebrada. No entanto, em todas as outras instâncias (“Mumm-Ra Lives! Parte II”, “Return to Thundera! Parte II”, “The Heritage”), a Espada foi reparada com relativa facilidade! Isso poderia implicar que o fogo estrela necessário para reforge-lo em “A Espada Justiceira” é um requisito apenas da Maldição de Balthaz.
  • Panthro deve ser o único engenheiro na Galáxia que não guardaria ouro em estoque. Ouro é simplesmente um excelente condutor de eletricidade e ótimo para banhar coisas que dependem dessa propriedade.
  • Mesmo desconhecendo ouro e seu valor, o episódio termina com os ThunderCats dizendo que Cheetara “vale mais que seu peso em ouro”.
  • O disfarce de Mumm-Ra como Grygory Grygion é tanto uma surpresa para o público quanto para Lion-O, Snarf e Tygra! Este assumir um disfarce sem o nosso conhecimento é muito eficaz, e é empregado novamente em “The Mask of Gorgon”.
  • Este episódio é um dos poucos (“Psych Out!” É outro) em que o enredo nunca volta para Mumm-Ra depois que ele o coloca em movimento.
  • Este episódio foi apresentado em quarto lugar no F.H.E. Home Video lançado, “A Nave Espacial Sob as Areias”, ao lado de “Dimension Doom”, “Trapped” e o episódio homônimo. Como tal, a exasperada linha “Escamoso e Mumm-Ra de novo!” De Tygra é ainda mais contextualmente precisa.

Texto extraído de thundercats.org com tradução e adaptações de Luciano Marzocca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *