15. A Cápsula do Tempo

Escrito por Peter Lawrence

Sinopse oficial
Jaga informa ao saudoso Lion-O que a Cápsula do Tempo contendo a história de Thundera ainda está intacta em algum lugar do Terceiro Mundo. A missão de encontrar a cápsula leva Lion-O e Snarf a uma batalha contra um tubarão-viúva-negra antes que eles escapem pela Ponte da Luz construída pelos Unicórnios. Tygra confronta o Rei Toupeira na caverna do Povo Toupeira, Cheetara luta contra uma serpente gigante, Panthro escapa por pouco de um enorme Homem-Caranguejo, e os Homens de Pedra têm que ser superados por Lion-O e Snarf. A Cápsula do Tempo se encontra na posse de um Homem das Cavernas muito musculoso. Lion-O luta uma quedra de braço pelo “prêmio” e, assim que ganha, os ThunderCats levam seu artefato para casa.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
O senso de identidade de uma pessoa inclui a identificação com grupos sociais, étnicos, raciais e religiosos nos quais ela é socializada. Essa identificação começa cedo, mas se consolida na adolescência. A busca de Lion-O pela Cápsula do Tempo é motivada por seu desejo de aprender sobre sua herança. Sua motivação é forte desde que ele perdeu seus anos significativos de adolescente quando ocorre, normalmente, a formação de identidade. Nesse período, os poderes de raciocínio vão além do particular e do concreto para o geral e o hipotético, e são capazes de abranger de maneira mais abrangente conceitos como raça e classe.

No início e no meio da infância, em que a fundação é colocada para a formação da identidade, é importante que as crianças aprendam a desenvolver identificações raciais e étnicas positivas, que lhes proporcionem auto-estima.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Cheetara: Carmen Sheila
Wilykit: Marisa Leal
Wilykat: Nizo Neto
Snarf: Élcio Romar
Rei Toupeira: Orlando Prado

Locais em destaque: Minas do Povo Toupeira, Passagem dos Homens-Pedra, Praia do Homem-Caranguejo, Ponte de Luz, Toca dos Gatos.

Veículos em destaque: ThunderTanque, pranchas espaciais.

Comentário oficial
Em alguns episódios dos ThunderCats, particularmente neste momento inicial da série, os problemas da saudade e da sensação de isolamento dos ThunderCats são resolvidos. O primeiro episódio a tocar sobre isso é “Pumm-Ra”, onde Mumm-Ra joga com as emoções dos ThunderCats para atacar os heróis felinos de dentro. No entanto, neste episódio, vemos a questão abordada de uma perspectiva totalmente diferente – não como uma emoção evocada como parte de uma conspiração vilã, mas sim um anseio natural da parte do ThunderCat que sem dúvida conhecia seu planeta natal o menos possível, Lion-O.

Na verdade, se isso é pensado em grande profundidade, é interessante que Lion-O é quem deve ter o desejo mais fervoroso de aprender mais sobre seu planeta natal, já que, na época da partida forçada dos ThunderCats, ele tinha aproximadamente a mesma idade que WilyKit e WilyKat mostraram nesse episódio. No entanto, longe de ser um buraco na trama, seja consciente ou inconscientemente, esta é uma peça brilhante de escrita do personagem, porque os ThunderKittens ainda estão imersos na inocência da juventude, enquanto Lion-O está lutando pela masculinidade e (talvez mais significativamente) crescendo em ser um líder maduro e sábio. Portanto, pode-se argumentar que é natural que ele seja mais curioso sobre a história e a cultura de seu planeta do que os ThunderKittens.

Um elemento um pouco curioso do desejo de Lion-O de aprender mais sobre seu planeta natal é quão pouco ele parece se lembrar. Como ele tinha 12 anos quando o viu pela última vez, não é como se ele fosse um bebê com apenas lembranças vagas. Isso é parcialmente explicado quando ele pergunta a Jaga o que realmente aconteceu em Thundera (em vez de fazer perguntas sobre como o planeta parecia), mas às vezes parece que Lion-O não se lembra muito de seu planeta natal dado que ele deixou isso tão tarde em sua infância. Talvez como o filho de Claud-Us, então o Senhor dos ThunderCats, ele foi forçado a levar uma vida muito protegida, mas isso é obviamente apenas uma conjectura.

Algo que torna este episódio memorável é que, embora os ThunderCats encontrem vários seres hostis durante sua busca pela Cápsula do Tempo, este episódio é destituído de um vilão central como o Mumm-Ra ou os Mutantes. Pode até ser argumentado que esta é a primeira vez que isso acontece, embora dependa do seu ponto de vista, já que o episódio “A Torre das Armadilhas” também carece de um vilão no sentido mais verdadeiro da palavra, como Baron Karnor insultando Lion-O e os outros do além-túmulo. Como é, “A Cápsula do Tempo” consegue habilmente tecer um episódio de “exploração do Terceiro Mundo” que realmente ajuda a promover o sentimento de maravilha, excitação e (muitas vezes) perigo que permeia o planeta adotado pelos ThunderCats.

Outro elemento digno de nota desse episódio é a introdução dos veículos dos ThunderKittens, as pranchas espaciais. Guarnecer WilyKit e WilyKat com seu próprio método de transporte é uma jogada inteligente, pois permite que eles desempenhem um papel mais ativo em muitos episódios futuros, mesmo que esse papel seja apenas de se colocarem em apuros! O mais inteligente é que, apesar de um relativamente grande negócio ser feito sobre os novos veículos dos ThunderKittens ao longo deste episódio, as próprios pranchas espaciais não são uma parte central do episódio, na medida em que o Feliner estava na segunda parte introdutório. e, na minha opinião, isso é extremamente correto. Embora a introdução do Feliner tenha revolucionado completamente a capacidade dos ThunderCats de viajar e ajudado a levar suas aventuras ao espaço, as pranchas do ThunderKittens são apenas uma extensão de veículos terrestres como o ThunderTanque e, como tal, lutariam para sustentar uma história baseada completamente em torno deles. Com “A Cápsula do Tempo”, a sub-trama sobre as pranchas espaciais é totalmente integrada ao enredo principal do episódio e, embora seja apenas uma pequena coisa, faz uma grande diferença no valor de interesse deste episódio.

Neste desenvolvimento da série ThunderCats, é muito difícil encontrar episódios de baixa qualidade, e um episódio como esse torna ainda mais difícil. Embora existam episódios que são mais memoráveis, este episódio, no entanto, faz uma adição única e crível ao enredo dos ThunderCats e, como tal, é altamente recomendado!

Escrito por Chris (He-Fan)

Curiosidades

  • Esse episódio marca a primeira aparição das famosas pranchas espaciais de WilyKit e WilyKat, que os ThunderKittens usariam extensivamente durante o restante da série.
  • Este episódio também traz as primeiras aparições do Tubarão-Viúva-Negra e da Ponte da Luz, apresentado a Lion-O e Snarf por ninguém menos que a Guardiã do Unicórnio.
  • Neste episódio, Jaga especifica que Lion-O tinha doze anos quando os ThunderCats fugiram de Thundera.
  • Embora a criatura gigante parecida com um réptil que ataca Cheetara neste episódio não tenha sido nomeada, a obra de arte Rankin-Bass refere-se à criatura como uma “serpente gigante”.
  • Embora os Homens Toupeira tenham sido apresentados em “O Jardim das Delícias”, este episódio marca a primeira aparição do seu líder tirânico, Rei Toupeira. O papel mais importante do Rei Toupeira na série seria como um membro do exército de Chacal no episódio “A Rebelião de Chacal”.
  • “A Cápsula do Tempo” é o primeiro episódio atribuído a Peter Lawrence, editor nominal de estórias que se tornaria, de fato, o autor principal em suas temporadas posteriores.

Texto extraído de thundercats.org com tradução e adaptações de Luciano Marzocca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *