10. Mandora – A Caçadora do Mal

Escrito por William T. Overgard

Sinopse oficial
Mandora, da Força de Controle interplanetária, alista Lion-O e Snarf para perseguir três criminosos que involuntariamente liberaram de seu trenó-cela. Atravessando o céu em sua moto espacial Electra Charger, eles encontram Plutar em aliança com o Pantanal Vivo. Mandora ataca o prisioneiro e o Pantanal com sua pistola enzimática. O dispositivo Boomslang de Mandora apanha a máquina/homem Queimado. Os Lamacentos prenderam o nosso grupo quando alcançaram o último bandido, Ligeirinho. Lion-O recupera o Olho de Thundera à tempo de convocar os ThunderCats à caverna no Thundertanque e assustar os Lamacentos com o farol alto do veículo.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
A preservação do meio ambiente mundial é um desafio para as gerações presentes e futuras. O cuidado prudente e criterioso que os recursos da Terra evita o esgotamento pelo desperdício, e a má gestão é um problema que todos compartilhamos. Neste episódio alegórico, personagens como os criminosos fugitivos Plutar, Queimado e Ligeirinho, e os ignorantes Lamacentos simbolizam os perigos da poluição, a não conservação da energia e uma pilhagem e mal uso dos recursos da Terra. Essa falta de preocupação com o meio ambiente tem potencial para levar a um desequilíbrio entre a humanidade e a Terra, que serve como nossa força de sustentação. O respeito pelo meio ambiente é um conceito essencial a ser transmitido às crianças em seu processo de socialização.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Cheetara: Carmen Sheila
Wilykit: Marisa Leal
Wilykat: Nizo Neto
Snarf: Élcio Romar
Mandora: Dolores Machado
Plutar: Ionei Silva
Pantanal Vivo:
Queimado: José Santanna
Ligeirinho ou Mão Leve:
Lamacentos: Personagens sem palavras, apenas grunhidos, mantidos os originais em inglês

Veículos em destaque:  Thundertanque, moto espacial Electra Charger

Locais em destaque: Pantanal Vivo, Cavernas dos Lamacentos, planícies do Terceiro Mundo.

Comentário oficial
Seria justo dizer que o trabalho do escritor William Overgard em ThunderCats é amplamente considerado como o ponto fraco da série. Overgard nunca realmente dimensionou as alturas de qualidade de outros escritores, como Leonard Starr ou Peter Lawrence, e também seria justo dizer que ele contribuiu com a maioria das ofertas mais bizarras da série – talvez seu trabalho mais “notável” tenha sido os Mutantes e Luna-Taks serem capturados pelo proprietário maluco de um trem de circo voador! No entanto, com foco nesse episódio, devemos dizer que é fácil esquecer que o Overgard realmente contribuiu com episódios muito fortes e divertidos para a série ThunderCats, a maioria deles na primeira metade da temporada 1 . Este é o primeiro roteiro que escreveu para a série, e na minha opinião é uma das suas ofertas mais fortes.

A principal força deste episódio é que ele apresenta a estreia de seu personagem principal, Mandora, a Caçadora do Mal. Mandora é um dos personagens convidados mais memoráveis ​​dos ThunderCats – uma executiva de lei feminino forte e decidido que fala duro para todos (incluindo quando os conhece, Lion-O e Snarf!), Mandora também ajuda a expandir o Universo dos ThunderCats trazendo, pela primeira vez desde o piloto, um elemento interplanetário na série. Mandora não possui base no Terceiro Mundo, mas, em vez disso, viaja pela galáxia levando os malfeitores à justiça como parte da Força de Controle Interplanetária. Isso realmente ajuda a trazer uma nova dimensão para a série ThunderCats e é um tema abordado por William Overgard em vários dos episódios que ele poderia escrever, não apenas episódios que visam Mandora, mas outros como “Espada no Buraco, onde (em contraste com este episódio) o vilão, em vez do herói, é baseado em outro lugar que não o Terceiro Mundo, e também “Dr. Dometone “, onde o vilão convidado do episódio também é de outro planeta. Na verdade, vale a pena notar que, embora não sejam declarados implicitamente no episódio, os três vilões recapturados por Mandora, Lion-O e Snarf neste episódio não são terrestres.

Este episódio realmente retorna a um tema que, até aquele dado momento, não havia sido abordado por alguns episódios, a saber, o crescimento contínuo e o desenvolvimento do Lion-O. Enquanto em episódios anteriores, vimos o Lion-O amadurecer para um Chefe dos ThunderCats (bem, pelo menos, salvo a pegadinha que aplicou no Snarf no início de “A Torre das Armadilhas”), No início deste episódio, vemos o Lion-O cometer um erro de julgamento por causa de sua curiosidade juvenil, até ingênua, ao libertar os três prisioneiros de Mandora. No entanto, como Leonard Starr antes dele, William Overgard faz um excelente trabalho de contrabalançar essa imaturidade de personalidade no jovem líder dos ThunderCats, mostrando-o subindo para a tarefa de auxiliar Mandora – mesmo que possa argumentar-se que ele tem uma motivação ulterior para fazer isso (recuperar a Espada Justiceira), o entusiasmo de Lion-O por esta tarefa é evidente. Enquanto ele tem mudado da personalidade do jovem Senhor (como mostrado nos episódios mais antigos da série), no entanto, neste episódio, Lion-O ainda exibe um ligeiro excesso de confiança juvenil, especialmente ao pilotar a moto espacial de Mandora. Essas cenas mostram que o jovem herói ainda tem muito a aprender, mas que ele está disposto e é capaz de fazê-lo.

Embora haja alguns episódios ligeiramente mais fortes dos ThunderCats, este é, no entanto, um episódio muito agradável, memorável e exclusivo com muitos elementos excelentes para recomendá-lo. Cheio de ação e entretenimento, este é outro vencedor nos primeiros dias de Rankin-Bass com a série animada ThunderCats!

Escrito por Chris (He-Fan)

Curiosidades

  • Este episódio nos apresenta o personagem Ligeirinho, um dos três vilões caçados por Lion-O, Snarf e Mandora. Ligeirinho retornaria como um personagem reformado no episódio “Mandora e os Piratas”, um exemplo raro de um vilão ThunderCats mudando seus caminhos! O episódio também foi escrito por William Overgard e também marcaria a segunda aparição de Mandora, tornando o episódio algo como uma sequência deste.
  • Embora, neste episódio, o Ligeirinho seja mostrado para dar uma piscada e levantar o chapéu, nunca o vemos removê-lo completamente. No entanto, uma instrução de guia de animadores para o personagem Ligeirinho inclui a ilustração dele com o chapéu completamente removido, revelando duas antenas escondidas abaixo.
  • Este episódio contém a primeira referência da série à moeda thunderiana, especificamente a consternação de Snarf pelo roubo de sua bolsa de moedas e sua “moeda da sorte de Jaga”. Claro, um elemento desta história que é inexplicável é por que Snarf está carregando sua bolsa de moedas preciosas através do meio de um campo em vez de deixá-la segura dentro da Toca dos Gatos.
  • Uma linha de diálogo falada por Mandora neste episódio refere-se a uma antiga fórmula que costumava ser chamada de “sabão”. A referência a este item cotidiano como “antigo” serve como um lembrete de que as aventuras dos ThunderCats no Terceiro Mundo foram (e são) amplamente consideradas como tendo lugar em “nossa” Terra, mas muitos séculos no futuro.
  • Este episódio é o primeiro roteiro da série ThunderCats a ser escrito pelo escritor e artista William T. Overgard. Além de seu trabalho nos ThunderCats, Overgard também escreveu roteiros para muitos filmes, publicou vários romances e também trabalhou como artista de quadrinhos. Ele morreu, infelizmente, em maio de 1990, aos 64 anos de idade.​​

Texto extraído de thundercats.org com tradução e adaptações de Luciano Marzocca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *