48. Os Micrits

Escrito por Bruce Smith

Sinopse oficial
Enquanto procura por Thundrillium, Lion-O descobre que há uma tribo de pessoas minúsculas no Terceiro Mundo. Eles ficam furiosos com os ThunderCats porque, toda vez que saem da Toca dos Gatos no ThunderTanque ou batalham contra os Mutantes, ou Mumm-Ra, eles achatam as aldeias, casas e plantações das pessoas pequenas. As pessoas pequenas, os Micrits, se vingam dos ThunderCats confiscando todas as suas armas e peças vitais da Toca, deixando-os vulneráveis a um ataque Mutante. E, como seria de se esperar, os inimigos jurados aproveitam esta oportunidade perfeita e atacam a Toca dos Gatos. Sem armas, computadores e maquinários, os ThunderCats são forçados a lutar de mãos vazias. Enquanto isso, os Micrits capturam Lion-O e a Espada Justiceira, prendendo-os com fios finos de Thundranium. Snarf procura por Lion-O e quando finalmente o encontra, eles trocam prisioneiros. Lion-O raciocina que, se os Micrits permitirem aos Mutantes combater os ThunderCats sem suas armas e máquinas, os heróis serão derrotados e o terror e destruição reinariam no Terceiro Mundo. Os Micrits concordam, mantendo Snarf cativo. Lion-O sinaliza aos ThunderCats com a Espada Justiceira e leva as armas confiscadas à Toca dos Gatos. Lion-O retorna as armas para cada um dos ThunderCats e os Mutantes tomam a trivial surra. Mantendo sua palavra, Lion-O retorna à aldeia Micrit e o Snarf é libertado. Os ThunderCats criam marcas territoriais delineando os limites do território para não mais destruir os Micrits.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
Os ThunderCats, por desconhecerem os pequenos Micrits, inconscientemente causam danos à sua comunidade. Irritados, os Micrits reagiram e, por sua vez, quase involuntariamente ajudaram os Mutantes a derrotar os ThunderCats e, aí sim esses espalhariam o mal e a destruição voluntariamente. Lion-O convence os Micrits a concordar com um pacto para libertá-lo por tempo suficiente para resgatar os outros ThunderCats. Trazendo suas armas para a Toca sitiada, Lion-O e os ThunderCats derrotam os Mutantes. Posteriormente, para evitar mais danos aos Micrits, eles demarcam os limites de seu território erguendo placas de sinalização. Frequentemente, um resultado ruim, por exemplo, algum dano ou mágoa nos outros, é o resultado de fazermos algo inadvertidamente sem o conhecimento completo ou depois de não prestar atenção. A falta de conhecimento e conscientização de nossa parte pode ter sérias repercussões. Ao avaliar o erro e a culpa, é importante distinguir nosso conhecimento de nossa intenção.

Nossa culpa é menor se fizermos algo errado por acidente do que se fizermos conscientemente. Neste episódio, os ThunderCats causaram danos apenas por falta de conhecimento da existência dos Micrits. Os Mutantes, por outro lado, procuravam intencionalmente causar destruição. No entanto, se um resultado ruim é resultado de inadvertência ou intenção errada, o dano e o sofrimento são reais. Portanto, não devemos apenas evitar pretender algo errado, mas também devemos procurar estar o mais conscientes possível das coisas e ser sensíveis aos sentimentos dos outros. Dessa forma, podemos evitar causar resultados negativos inadvertidamente. Nossas chances de evitar erros e problemas são muito melhores quando estamos conscientes, atentos e sensíveis ao nosso ambiente.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Tygra: Francisco Barbosa
Cheetara: Carmen Sheila
Wilykit: Marisa Leal
Wilykat: Nizo Neto
Snarf: Élcio Romar
Abutre: Luiz Feier Motta
Escamoso: André Luiz “Chapéu”
Simiano: Paulo Flores
Chacal: Older Cazarré
Micrits: Não conhecidos

Locais em destaque: Toca dos Gatos, Castelo Plun-Darr, Território Micrit, Planície da Fertilidade.

Veículos: ThunderTanque, Naves Navalha, Mergulhador

Comentário oficial
Por toda a história literária e de fantasia, houve personagens diminutos em destaque, sejam os liliputianos das viagens de Gulliver, de Jonathan Swift, ou os hobbits de J.R.R. Tolkien em O Senhor dos Anéis e, como tal, personagens convidados desse tipo costumam ser nós dramáticos da narrativa de fantasia. Neste episódio, esse elemento finalmente chega ao ThunderCats, cortesia da introdução do Micrits, uma raça do Terceiro Mundo em miniatura cujas vidas estão ameaçadas simplesmente porque são muito pequenas para serem notadas pelas corridas de tamanho normal do planeta.

No papel, a introdução dos personagens Micrits pode parecer um dispositivo de enredo bastante fraco ou exagerado e que se encaixa mal no resto do universo ThunderCats. No entanto, os resultados são realmente eficazes, com os próprios Micrits provando ser personagens muito críveis. Embora inicialmente a sabotagem do esconderijo dos gatos e a prisão do LionO signifiquem que o público os perceba como um inimigo, na verdade, ao longo do episódio, essa percepção muda gradualmente à medida que a situação que enfrentam se torna cada vez mais evidente, instantaneamente. marcando-os como alguns dos personagens convidados mais interessantes e eficazes da série.

Este episódio é o primeiro de dois a sair da caneta de Bruce Smith e, embora seja verdade que muito do que torna este episódio tão divertido é a fantástica animação, direção e execução das muitas sequências de ação que ocorrem na Toca dos Gatos, no entanto, ele se cobre de glória pela maneira como inteligentemente tece duas tramas (a situação dos Micrits e o mal-entendido dos ThunderCats, junto com os Mutants que capitalizam e invadem uma Toca dos Gatos indefesa) em um todo contínuo, criando uma história cheia de brilhantes suspenses e momentos dramáticos. Embora esse episódio dependa fortemente de sequências de ação, que são, obviamente, uma marca registrada de ThunderCats, um dos testes para um episódio repleto de ações é o quão “orgânicas” são suas sequências; ou seja, o quanto as sequências de ação aparecem ocorrem naturalmente e não são inseridas no episódio para prolongar o tempo de duração ou disfarçar uma história fraca. Neste episódio, toda a ação parece lógica e genuinamente suspensa, tendo sido criada pelo enredo habilmente elaborado e inteligente, e o episódio realmente brilha como consequência.

Existem dois elementos muito menores e ainda altamente dignos de nota neste episódio, sendo o primeiro deles a eficácia com que ele consegue estabelecer os Mutantes como uma ameaça crível. Ao longo da série ThunderCats, os roteiristas tiveram dois problemas em andamento: o tempo todo, Lion-O possuía a Espada Justiceira, fazia com que os ThunderCats se aproximassem a serem indestrutíveis. O outro, é que havia tanta sensação de ameaça que poderia ser gerada pelos Mutantes. Embora nunca julguemos o valor cômico de alguns vilões do mundo da animação dos anos 1980, no entanto, os roteiristas só foram capazes de levar os Mutantes (e, de fato, qualquer um dos vilões do ThunderCats) até agora, devido às restrições do gênero e sua faixa etária alvo, o que significa que é possível chegar a um ponto em que os Mutantes não fossem mais uma ameaça para o público, reduzindo assim o impacto dramático das aventuras dos ThunderCats. Neste episódio, esse sentimento de ameaça é (embora brevemente) restabelecido, com os ThunderCats roubados de sua tecnologia e armamento, e sem seu líder com sua poderosa Espada Justiceira.

Isso leva muito bem ao segundo elemento digno de nota deste episódio. O grito de guerra de Lion-O quando chega na Toca dos Gatos consegue energizar os ThunderCats, com Tygra proclamando um “novo jogo começa!” Essa pequena sequência mostra o quanto, apesar de sua juventude e relativa inexperiência, os ThunderCats realmente confiam em Lion-O como uma força para mudar o momento da batalha a seu favor, tanto como guerreiro e líder natural, quanto como portador da Espada Justiceira, a arma mais poderosa deles.

Tudo isso é um endosso de um episódio lindamente executado, com um enredo surpreendentemente eficaz e alguns dos melhores personagens convidados da série. De fato, por alguma razão, a palavra que eu continuo retornando com este episódio é “bonito”, razão suficiente para eu classificá-lo como um dos mais fortes da segunda metade da primeira temporada.

Curiosidades

  • Neste episódio, a equipe de Cheetara é referida por Lion-O como seu “bastão”;
  • A pequena animação da sala da Espada Justiceira que se estende em um ângulo, vista pela primeira vez em “O Retorno do Broca”, é mostrada novamente neste episódio (embora com um fundo diferente);
  • Uma das coisas mais incomuns sobre esse episódio é que, quando os outros três Mutantes atacam e invadem a Toca dos Gatos, Simiano não está em lugar algum;
  • Este episódio marca apenas a segunda aparição da manobra de ataque única de Wilykit, na qual ela se enrola em uma bola e se lança contra um inimigo, visto pela primeira vez em “A Torre das Armadilhas” lá no início da série;
  • Este é o primeiro dos dois roteiros ThunderCats a serem escritos por Bruce Smith, um animador de personagens, diretor de cinema e produtor de televisão, mais conhecido como o criador da The Pround Family da Disney. Após seu trabalho no ThundeCats, Smith se juntou à Disney e trabalhou em vários projetos, como Tarzan e A Nova Onda do Imperador, além de codirecionar os segmentos animados do Space Jam da Warner Bros.

Texto extraído de thundercats.org com tradução, complementos e adaptações de Luciano Marzocca