36. O Thunder-Cortador


Escrito por William Overgard

Sinopse oficial
Enfurecido pela desculpa dos Mutantes de que a Espada Justiceira é invencível, Mumm-Ra convoca Hachiman, um lendário samurai, e sua espada, o ThunderCortador. Ele engana Hachiman para acreditar que Lion-O é mau. O samurai confronta o líder dos ThunderCats enquanto está a caminho do Reino das Donzelas Guerreiras com Nayda. Eles se envolvem em uma disputa acirrada de egos e Nayda os salva da destruição. Mesmo este escape estreito não impede Lion-O e Hachiman de continuar seu confronto – mas nem a Espada Justiceira nem o Thunder-Cortador obedecem a seus mestres. Os guerreiros percebem que ambos são honrosos e que Hachiman foi enganado por Mumm-Ra. Eles unem forças, apenas para serem atacados por Escamoso e Simiano em seus foguetes voadores. Os heróis capturam Escamoso e o levam para o Reino das Árvores Copadas. Mumm-Ra convoca um NINJA que assume a forma de Gumla, um Tabbut, e se infiltra no Reino das Árvores, fingindo negociar a liberação do réptil. Durante a noite, ele se transforma de volta no ninja, e avisa que os mutantes atacarão de madrugada. O ninja agora tenta destruir Hachiman, usando Nayda como refém. Ela neutraliza seu poder de barganha mergulhando em direção ao chão, esquecida do perigo mortal. Lion-O arremessa a Espada Justiceira em um tronco de árvore. A Espada gruda e NAYDA se salva segurando o cabo. Lion-O, Hachiman, as Donzelas Guerreiras e os ThunderCats derrotam o ataque dos mutantes sem maiores dificuldades.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
Honra é a excelência de caráter, cujos aspectos incluem dignidade, integridade, coragem e orgulho. Neste episódio, Lion-O, que vive pelo Código de Thundera, conhece o Samurai, Hachiman, que também vive segundo um código que inclui honra. A honra de Hachiman, no entanto, é quase subvertida pelo estratagema de Mumm-Ra, que tenta fazer com que ele e sua espada lutem ao lado do mal contra Lion-O e o Código de Thundera.

Durante o curso de seu encontro, Lion-O e Hachiman, cegados por uma falsa bravata, perdem sua perspectiva e se envolvem em um duelo. Ambos alegam que o outro pode recuar e manter respeito e honra. Mas a verdadeira honra não é um confronto, que ignora a retidão, a justiça e a verdade das ações de alguém. Em um impasse em que esses princípios são ignorados, ninguém vence. Se não fosse pelo bom senso prático de Nayda, tanto Lion-O quanto Hachiman teriam perecido por uma noção distorcida de honra. Eles são trazidos à razão pelo poder de suas espadas, que são incapazes de serem usados ​​para propósitos malignos. Lembrando da verdadeira honra, eles juntam forças e perseveram contra Mumm-Ra, os Mutantes e o desonrado Ninja.

Em nossas vidas, devemos ter o cuidado de aprender a verdadeira definição de honra, que envolve referência a retidão, justiça e verdade. Devemos estar em guarda para não sermos vítimas de uma falsa bravata, que ignora os julgamentos sobre os propósitos de nossas ações.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Tygra: Ricardo Juarez
Cheetara: Carmen Sheila
Wilykit: Marisa Leal
Wilykat: Nizo Neto
Snarf: Élcio Romar
Escamoso: André Luiz Chapéu
Simiano: Luiz Feier Motta
Chacal: Older Cazarré
Mumm-Ra: Silvio Navas
Hachiman: Olney Cazarré

Locais em destaque: Toca dos Gatos, Floresta, Reino das Árvores Copadas, Pirâmide Negra, Queda de Quatro Dias

Comentário oficial
Talvez uma das coisas mais atraentes sobre uma série animada híbrida de ficção científica com fantasia como ThunderCats é que, pelo menos teoricamente, existem muito poucos conceitos, ideias e elementos que os escritores não podem explorar. Ao longo do curso da série ThunderCats, uma variedade de diferentes conceitos e estilos seriam experimentados, com vários graus de sucesso. Algumas dessas ideias funcionariam de forma brilhante, outras seriam falhas completas, algumas seriam surpreendentes falhas e outras histórias de sucesso improváveis. Este episódio provavelmente cai na última categoria.
Talvez um dos mais improváveis ​​conceitos narrativos concebíveis seja aquele que une os diferentes mundos do Japão feudal e do Terceiro Mundo – com a forte ênfase na narrativa clássica de estilo de fantasia em ThunderCats, para apresentar samurais, ninjas e outras influências japonesas. Um conceito bizarro, e, no entanto, é exatamente isso que “O Thunder-Cortador” faz, introduzindo o personagem Hachiman, o guerreiro samurai da honra, cuja devoção ao seu código bushidô tanto o fortalece quanto o restringe. Por este episódio ter sido escrito pelo falecido William Overgard, amplamente considerado pelos fãs do ThunderCats como o escritor regular mais fraco do programa, não seria irracional esperar que este episódio fosse realmente horrível, e ainda assim, de alguma forma, ele consegue não apenas escapar desse estigma, mas realmente entregar uma história muito divertida.

Parte do que torna este episódio tão bom é o conceito único e crível de Mumm-Ra querendo tirar a maior arma dos ThunderCats, a Espada Justiceira, colocando-a contra o que ele percebe como uma espada mais poderosa, neste caso, o Thunder-Cortador. Embora se deva dizer que este conceito seria melhor explorado no episódio “Excalibur”, no entanto, este episódio se beneficia de ser o primeiro a abordar esse conceito. Outro fator crucial no sucesso deste episódio é o caráter do próprio Hachiman – enquanto teria sido fácil para Mumm-Ra convocar um personagem Samurai maligno genérico, em Hachiman um elemento de complexidade é adicionado ao seu personagem em que ele é, basicamente, um bom personagem, mas alguém que está longe de ser perfeito, alguém cujo código de honra é sua grande fraqueza, pois o compele a agir algumas vezes contra seu próprio julgamento, mas também lhe dá a força para agir e a estrutura em torno de toda a sua vida. e senso de eu é construído.

Ao longo do curso deste episódio, Hachiman é um personagem convincente, não apenas por seu esgrima e ousadia, mas também por sua natureza volátil e imprevisível – uma das cenas mais memoráveis ​​deste episódio é quando Hachiman e Lion-O se enfrentam em cima do tronco sobre a Queda de Quatro Dias, no que só pode ser descrito como um momento de “Robin Hood e Little John”! Tal como acontece com o pareamento lendário, Lion-O e Hachiman ganham respeito um pelo outro após o seu confronto. No entanto, vale a pena notar que esta cena realmente representa um retrocesso para o personagem de Lion-O em termos de sua maturidade, remontando ao Lion-O que encontramos pela primeira vez em alguns dos episódios mais antigos da série – naquelas primeiras histórias. Lion-O estava cheio de orgulho feroz em sua posição e título, não a ponto de ser um personagem desagradável, mas ao ponto em que o público podia ver claramente que seu orgulho tinha o potencial de colocá-lo em apuros. Neste episódio, o orgulho de Lion-O é afrontado pelas insultos superiores de Hachiman, e ele reage impulsivamente e com raiva, cortando o tronco embaixo dele com um desejo suicida de se provar o maior homem contra o Samurai. Como tal, enquanto isso é um lapso breve para Lion-O, no entanto, este episódio quase parece que deveria acontecer mais cedo na série, antes de alguns dos desenvolvimentos de personagem que Lion-O desfruta.

Visualmente, este episódio é altamente evocativo do Japão feudal, com grande parte da ação ocorrendo em um cenário de floresta – de fato, tendo muito do episódio ocorrendo no Reino das Donzelas Guerreiras como um golpe de mestre, naturalmente fornecendo o cenário perfeito de maneira que não parece forçada, porque é um local que o público já viu antes. Outro elemento notável deste episódio é a introdução do Ninja, um personagem que faria sua única aparição neste episódio – na história e na mitologia japonesa, os ninjas são assassinos encobertos, e a aura sombria e misteriosa que os cerca na ficção é algo que é posta a bom termo neste episódio quando o ninja místico de Mumm-Ra enfrenta o Samurai Hachiman.

Esse episódio funciona? Surpreendentemente, em grande medida, sim, sim. Embora existam aqueles que, muito credivelmente, argumentam que introduzir samurais e ninjas em ThunderCats é esticar as coisas um pouco longe demais, de alguma forma a execução deste episódio permite que ele suba acima desses argumentos e permite que ele floresça como um bom, sólido, talvez um conto pouco espetacular. Infelizmente muitos experimentos futuros dentro da série não funcionariam tão bem, particularmente quando esses experimentos emanaram da caneta de William Overgard – e ainda assim, de alguma forma, contra todas as probabilidades, esse episódio consegue fazer isso acontecer.

Escrito por Chris (He-Fan)

Curiosidades

  • Este episódio marca a primeira aparição do guerreiro Samurai Hachiman. Embora essa seja a única aparição de Hachiman na primeira temporada, ele teria um papel proeminente em vários episódios da segunda temporada.
  • As imagens dos ThunderCats que Mumm-Ra mostra a Hachiman através de seu caldeirão são todas tiradas da abertura do programa.
  • Quando Nayda e os ThunderCats estão discutindo o novo dispositivo do sistema de alerta na Toca dos Gatos, Panthro infere que pode levar três dias para ir de lá ao Reino das Donzelas Guerreiras, enquanto em outros episódios essa jornada parece ser significativamente mais curta.
  • A animação dos ThunderCats reagindo e respondendo à convocação do Lion-O é na verdade retirada do episódio anterior “Mandora – The Evil Chaser” – algumas sequências foram reanimadas contra um fundo noturno diferente para refletir a diferente hora do dia que a cena se passa neste episódio, mas alguns tiros chegaram à sequência final que ainda estão acertados na luz do dia, o que significa que nesta sequência a hora do dia muda de um tiro para outro.

Texto extraído de thundercats.org com tradução e adaptações de Luciano Marzocca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *