33. Dimensão da Destruição

Escrito por Bob Haney

Sinopse oficial
Wizz-Ra aparece ante Cheetara. Perturbada, ela considera pedir conselhos aos outros ThunderCats, mas teme que eles a ridicularizem. Eras anteriormente, Wizz-Ra e Mumm-Ra haviam travado uma batalha titânica bem em cima do deserto egípcio. Wizz-Ra perdeu devido à intervenção acidental da Esfinge, que o banido para a Sétima Dimensão, podendo voltar uma vez a cada 7 mil anos por apenas um único dia. Consigo, levou o Elmo Dourado Encantado do controle da mente. Mumm-Ra traz à vida uma estátua de  guepardo para e a usa para tomar o Elmo Dourado quando Wizz-Ra finalmente sai da Sétima Dimensão. Com isso, o Sacerdote do Mal ganha controle sobre os ThunderCats. Ele ignora Cheetara, no entanto, acreditando que ela seja impotente em seu transe. Esta confiança excessiva o leva a relaxar o feitiço dela e, junto a Snarf, é capaz de recuperar o Elmo Dourado, libertar os outros ThunderCats e devolver Wizz-Ra com segurança à Sétima Dimensão.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
Quando Cheetara sonha e depois vê Wizz-Ra pela primeira vez, ela fica intrigada e confusa. Em vez de compartilhar seu conhecimento e confusão com os outros ThunderCats e buscar orientação, ela retém a informação por medo de ser ridicularizada e dispensada.

Quando não compartilhamos nossas incertezas e medos com os que nos sentimos próximos, corremos o risco de nos sentirmos alienados. E quando nós recusamos dizer a eles algo que aconteceu ou que encontramos que podemos não entender ou ser incomodados, corremos o risco de alguma desgraça acontecer. Verdadeiros amigos e pessoas que se preocupam conosco não nos dispensarão, mas nos ouvirão, ajudarão e apoiarão.

O que pensamos e sabemos, junto com o que sentimos e experimentamos, é importante. Neste episódio, Mumm-Ra, pelo poder mágico, é capaz de controlar as mentes dos ThunderCats. Às vezes, na vida real, outros nos convencem de que o que pensamos e sentimos é insignificante e que devemos pensar e sentir como os outros. Isso é um erro, uma vez que cada um de nós tem direito a seus próprios pensamentos e sentimentos. Devemos nos permitir estar confiantes e seguros naquilo que pensamos e sentimos e compartilharmos os pensamentos e sentimentos com os outros.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Cheetara: Carmen Sheila
Wilykit: Marisa Leal
Wilykat: Nizo Neto
Snarf: Élcio Romar
Jaga: Garcia Neto
Mumm-Ra: Sílvio Navas
Wizz-Ra: Mário Jorge Andrade

Locais em destaque: Toca dos Gatos, quarto de Cheetara, Pirâmide Negra, Sétima Dimensão, deserto egípcio.

Comentário oficial
De muitas maneiras, “Dimensão da Destruição” é um episódio que reúne todos os melhores e mais memoráveis ​​elementos do conceito original de ThunderCats e os une – não é apenas o enredo deste episódio altamente emocionante e memorável, mas em muitos aspectos é também um dos episódios que permanece mais fiel às origens da série.

Talvez o detalhe mais significativo a ser observado sobre esse episódio seja o número de visuais e referências antigos do estilo egípcio que o escritor Bob Haney e os animadores do episódio conseguiram inserir nele. Da batalha de Mumm-Ra e Wizz-Ra sobre o deserto, assistida por uma esfinge mágica, pelo design egípcio de Wizz-Ra e seu Elmo, esse episódio, sem dúvida, mais do que qualquer outro, dá peso ao conceito de que o Terceiro Mundo é uma futura versão pós-apocalíptica da “nossa” Terra e a pirâmide de Mumm-Ra e o Deserto das Areias Afundantes estão localizados nas proximidades do que costumava ser o Antigo Egito. Estes elementos, mais do que qualquer outra coisa, dão a este episódio uma “vibração” e “sensação” única que realmente acrescenta algo ao senso de perigo representado pela aquisição do Elmo Dourado de Wizz-Ra por Mumm-Ra, e também ao significado histórico de Wizz-Ra aparecer de outra dimensão.

Mais uma vez, neste episódio como em muitos outros, os escritores de ThunderCats jogam com as inclinações e habilidades psíquicas de Cheetara, assim como suas qualidades femininas, para adicionar uma grande quantidade de interações sutis entre ela e Wizz-Ra – primeiro fazendo dela o ponto focal da jornada de Wizz-Ra na dimensão dos ThunderCats (que se relaciona com sua percepção psíquica e habilidades) e também por amarrar a aparência do atraente mago masculino de outra dimensão ao personagem que, na época, era o série única personagem feminina adulta residente. Embora tratado com muita sutileza, o adeus de Wizz-Ra a Cheetara na conclusão deste episódio é tingido com um toque de romance, não muito, mas apenas o suficiente para adicionar um toque de pungência ao que poderia ter sido uma cena simples e um tanto sem imaginação. Toques brilhantes como este são o que tornam este episódio tão envolvente e divertido, e é um testemunho do brilhantismo do experiente escritor de histórias em quadrinhos Bob Haney. Somente ele para pensar em adicionar esses elementos a este episódio.

Este episódio é também uma vitrine brilhante para Mumm-Ra, que (apesar de nunca se transformar em sua forma “De Vida Eterna”, que aparece apenas em uma seqüência de flashback) parece completamente formidável e ameaçador por toda parte. Eu sempre disse que uma maneira de medir o quão bom é um episódio de ThunderCats para Mumm-Ra é examinar quão eloquente seu diálogo é, e, com certeza, neste episódio Mumm-Ra positivamente ergue o mal, com um diálogo vasto e poderoso que o dublador Earl Hammond se alimenta com todo o veneno que consegue (Sílvio Navas, na versão brasileira, não faz por menos – NdE). Embora possa-se argumentar que o relaxamento de Mumm-Ra em seu feitiço devido ao excesso de confiança, permitindo que Cheetara surja de seu transe, é algo útil, no entanto, é um personagem com a maneira como Mumm-Ra é retratado neste episódio. Prova de que o mal pode ser sua própria ruína. Provavelmente uma coincidência mais inacreditável é que os ThunderCats construíram não apenas a Toca dos Gatos, mas o quarto de Cheetara no ponto exato onde Wizz-Ra ressurgirá de sua dimensão!

Afora isso, é difícil encontrar alguma grande fraqueza neste episódio, um exemplo que serve como um testemunho do que faz de ThunderCats um clássico atemporal dentro do gênero de animação de ação e aventura. Se tiver uma fraqueza ainda não referenciada, talvez seja que a voz de Wizz-Ra, na tentativa de impregná-la com um senso de poder e nobreza majestosos, seja ligeiramente afetada e, portanto, carente das qualidades emotivas necessárias para demonstrar fraqueza. O público realmente se importa com o personagem, em vez de se preocupar mais com os destinos dos personagens que o rodeiam (neste caso, os próprios ThunderCats). No entanto, esta é uma queixa menor e não é algo que tenha estragado meu próprio prazer pessoal deste episódio.

Com um enredo envolvente, sequências de ação aceleradas e visualmente excitantes, um Mumm-Ra ameaçador e por ser tão fiel ao núcleo do conceito dos ThunderCats quanto qualquer episódio poderia ser, “Dimensão da Destruição” é sem dúvida um dos episódios mais fortes da temporada 1 dos ThunderCats.

Escrito por Chris (He-Fan)

Curiosidades

  • A aparição da Esfinge na cena da batalha original de Mumm-Ra e Wizz-Ra, como mostrado em flashback neste episódio, acrescentaria credibilidade à teoria de que o Terceiro Mundo é a “nossa” Terra muitos anos no futuro.
  • Neste episódio, aprendemos o nome de uma das quatro estátuas na câmara tumular de Mumm-Ra – a estátua parecida a um abutre é conhecida como o Rei Abutre.
  • Quando Wizz-Ra libera os ThunderCats de feitiço de controle da mente de Mumm-Ra no final deste episódio, entre as conversas confusas, ouve-se a voz de Snarf claramente dizendo: “Eu devia estar dormindo”, apesar do fato de que Snarf não era um dos os ThunderCats que Mumm-Ra escravizou.
  • Este episódio é incomum para Mumm-Ra, já que ele nunca se transforma em sua forma “De Vida Eterna”! Esta seria uma ocorrência rara ao longo da série, com a transformação de Mumm-Ra geralmente ocorrendo sempre que ele aparecesse em um episódio, embora, é claro, no caso deste aqui, pudesse ser argumentado que ele não precisava se transformar devido ao aprimoramento de seus poderes concedidos pelo Elmo encantado de Wizz-Ra.

Texto extraído de thundercats.org com tradução e adaptações de Luciano Marzocca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *