14. A Espaçonave Enterrada

Escrito por Leonard Starr

Sinopse oficial
Mumm-Ra desenterra a espaçonave dos Mutantes do Deserto das Areias Movediças. Os Mutantes recuperam suas super armas (as naves voadoras ou Naves-Navalha e o Mergulhador) e atacam os ThunderCats. Lion-O e Panthro perseguem o Mergulhador debaixo d’água com o ThunderTanque. Eles encontram uma enguia gigante e, com a ajuda dos pais sea-quines, resgatam um bebê da mesma espécie preso sob o tanque. Os Mutantes são derrotados, mas mantêm seus super veículos e retornam à tumba de Mumm-Ra para planejar o próximo ataque.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
No meio de uma luta contra os Mutantes, a vida de um bebê de Sea-Quine é ameaçada quando fica presa sob o ThunderTanque. Apesar do risco de perder o veículo, Lion-O e Panthro trabalham febril e habilmente para salvar o Sea-Quine. Seus esforços em resposta ao perigo de perda de vidas mostram respeito pelo valor da vida. Suas ações e sentimentos contrastam e oferecem uma resposta a uma questão levantada pelo Tabbut materialista no início do episódio: “De que adianta minha vida sem dinheiro?” A própria vida tem um valor intrínseco e deve ser promovida e protegida assiduamente.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Cheetara: Carmen Sheila
Wilykit: Marisa Leal
Wilykat: Nizo Neto
Snarf: Élcio Romar
Mumm-Ra: Sílvio Navas
Escamoso: André Luiz “Chapéu”
Simiano: Paulo Flores
Chacal: Older Cazarré
Viajante Tabbut assaltado: Garcia Júnior

Locais em destaque: Deserto das Areias Movediças, Toca dos Gatos, Pirâmide Negra.

Veículos em destaque: Naves-Navalha, Mergulhador, ThunderTanque

Comentário oficial
“A Espaçonave Enterrada” é um episódio muito interessante, e, em muitos aspectos, um paradoxo. Por um lado, este episódio mostra um evento particular, a saber, a recuperação da tecnologia e dos veículos dos Mutantes, que afeta muito o equilíbrio de poder entre os ThunderCats e seus adversários; por outro lado, o enredo para este episódio é bastante básico e, pode-se argumentar, um tanto medíocre. No entanto, onde este episódio pontua é em algumas das sutilezas de sua escrita, em particular a exploração da relação entre Mumm-Ra e os Mutantes.

Antes de tocar no que torna este episódio tão interessante, vamos tirar o maior resultado negativo do caminho. Embora a animação deste episódio em particular seja boa, na minha opinião, não corresponde ao mesmo padrão que os episódios anteriores, muitas vezes parecendo bastante simples. Há algumas ótimas fotos contidas dentro (particularmente do Mumm-Ra), mas na maior parte a animação é um pouco sem inspiração. O estilo de animação mostrado neste episódio apareceria novamente em outros mais à frente na série, mas é no geral muito diferente da aparência geral do resto de uma maneira que é difícil de descrever e ainda óbvia para o olho.

Olhando para além disso, este é um episódio repleto de roteiros sutis e interessantes para os personagens, talvez os mais negligenciados nesse departamento ao longo do curso da série, ou seja, Mumm-Ra e os Mutantes. Em muitos aspectos, este episódio é uma continuação de “A Aliança Profana”, abordando o mesmo tema subjacente (a relação entre os Mutantes e Mumm-Ra) e explorando essas questões. O episódio começa explorando uma trama muito realista, a saber, o fato de que os Mutantes estão agora em séria desvantagem quando enfrentam os ThunderCats: seus inimigos felinos puderam utilizar sua espaçonave naufragada para construir seu ThunderTanque e outras armas, enquanto aos Mutantes foi negado o acesso ao armamento e equipamentos em sua nave espacial quando foi afundado por Mumm-Ra.

Quando os Mutantes aborda Mumm-Ra sobre isso, a forma servil em que Escamoso pede o retorno de sua espaçonave é tanto uma grande percepção de sua personalidade reptiliana astuciosa e manipuladora, como também apenas demonstra atração a Mumm-Ra. . No entanto, à medida em que o episódio se desenvolve, Escamoso questiona por que, se Mumm-Ra é de fato todo-poderoso, o demônio maior tem que voltar tão frequentemente para sua tumba para reabastecer seu poder, e no final do episódio você vê Escamoso e os outros desafiarem flagrantemente seu benfeitor mumificado, recusando-se a devolver seus veículos e equipamentos para sua espaçonave. Enquanto Escamoso usa isso afirmando que ele meramente deseja que os Mutantes sejam de melhor serviço, fica claro que Mumm-Ra percebe esse engodo, ainda que por qualquer razão opte por ignorá-lo. Isto representa uma clara evolução na relação entre as duas partes, e enquanto os Mutantes continuariam a servir a Mumm-Ra, assistindo a este episódio não é de surpreender que a partir de então eles se mostrassem bastante desafiadores e menos bajuladores do Sacerdote do Mal.

A introdução dos veículos Nave-Navalha e Mergulhador dos Mutantes é algo muito bem-vindo, pois restaura para a série uma maior sensação de ameaça – que os Mutantes, mesmo que ainda não sejam páreo para os ThunderCats, são pelo menos uma força tangível em suas vidas, gerando batalhas ameaçadoras. Eu tenho que dizer que eu pessoalmente sinto que os ataques dos Mutantes com seus veículos neste episódio poderiam ter sido feitos para serem mais ameaçadores e mais dramáticos. Teria sido bom ver os ThunderCats terem que inventar alguma forma de armamento ou estratégia para tentar derrotar esses novos veículos, mas em sua estreia os veículos mutantes são despachados com relativa facilidade. São neutralizados, nega-se a ameaça que eles representam e o enredo principal fica levemente prejudicado, que é basicamente um veículo (se você perdoar o trocadilho) por introduzir estes novos artifícios dos Mutantes. Ao assistir a introdução desses veículos, eu me encontro comparando isso com a introdução da Máquina Voadora do Abutre em “Senhor das Neves”. Embora a Nave Voadora seja um veículo um pouco menos impressionante, devido às circunstâncias dramáticas que cercam seu ataque a Snarf e SnowMeow naquele episódio, de alguma forma sua entrada parece muito mais memorável.

Resumindo, isso realmente parece algo como um episódio abaixo do esperado, um que é mais essencial para promover o enredo da série (cortesia da introdução dos veículos dos Mutantes) ao invés de atuar como um verdadeiro destaque por si só. No entanto, como mencionado anteriormente, ele apresenta uma escrita de caráter realmente brilhante entre os Mutantes e Mumm-Ra, e isso só para mim faz com que valha a pena ver.

Escrito por Chris (He-Fan)

Curiosidades

  • Neste episódio, somos apresentados a um Tabbut, uma raça de colecionadores de dinheiro indígena do Terceiro Mundo. Uma revelação interessante neste episódio é que os Tabbuts cobram o aluguel dos Wollos e Bolkins, embora não esteja estabelecido o que é este em pagamento especificamente.
  • Este episódio marca a estreia dos veículos dos Mutantes, as Naves-Navalha e o Mergulhador. Embora não tenha sido apresentado até este episódio, existe um conceito que sugere que os veículos foram projetados e planejados para serem incluídos na série em um estágio bem inicial.
  • Apesar de sua proclamação em A Aliança Profana de que a nave espacial dos Mutantes foi “para sempre”, este episódio apresenta sua ressurreição – prova de que você nunca pode confiar em Mumm-Ra para nada!
  • Após a introdução do modo anfíbio do ThunderTanque em “O Terror do Mão-de-Martelo”, neste episódio está estabelecido que, quando submerso em suas costas, o ThunderTank é inoperável – uma desvantagem peculiar que recobre sua cabeça novamente em “Retorno do Broca”.

Texto extraído de thundercats.org com tradução e adaptações de Luciano Marzocca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *