55. Rebelião de Chacal

Escrito por Bruce Smith

Sinopse oficial
Chacal rouba a Máquina Voadora de Abutre e ataca Lion-O e Panthro no ThunderTanque. O renegado Mutante, em seguida, alista o Toupeira-Chefe (anteriormente chamado de Rei Toupeira) e o Broca em seu próprio “exército” privado e planeja pulverizar os ThunderCats. Primeiro, o “exército” de Chacal derrota os outros Mutantes em batalha. Então o Broca ataca Cheetara, enquanto ela salva um unicórnio. Ela é capaz de derrotar o Broca, que é resgatado por Chacal na Máquina Voadora. Um Bolkin alerta os ThunderCats que a Vila Wollo está sitiada pelo “exército” de Chacal. O Mutante Renegado usa o VariCanhão e uma mina aérea contra os ThunderCats. Lion-O luta contra os outros Mutantes, usa a Espada para convocar seus companheiros, e, juntos, eles derrotam o “exército” de Chacal e os outros Mutantes.

Moral pelo Dr. Robert Kuisis
É a vez de Chacal se rebelar contra os outros Mutantes e tentar satisfazer sua busca pelo poder absoluto. Ao tentar estabelecer seu reinado de terror, ele busca seu próprio ganho e não o de todos os companheiros juntos. Em vários momentos, cada um dos Mutantes se separou do grupo e procurou se beneficiar individualmente às custas dos outros. Eles não mostram disposição para se adaptar às normas sociais necessárias à coesão do grupo. Em contraste com a divisão dos Mutantes está a lealdade e conformidade dos ThunderCats ao seu código moral. Podemos aprender com eles os valores de ser membro de um grupo social.

Os grupos atingem seus objetivos e a própria sociedade é sustentada pela conformidade individual às normas. Ao participar da atividade em grupo, um indivíduo ganha muitas recompensas sociais. Ele recebe reconhecimento, um orgulho compartilhado de realizações, um sentimento de pertencimento e aprovação e uma maneira de perceber o mundo (Hollander e Hunt, 1970, pp. 409-415). Se participamos de um grupo e nos sentimos parte dele, compartilhando seu objetivo comum, temos muito a ganhar. Separar-se e tornar-se um solitário, ou tentar alcançar apenas um objetivo individual e negligenciar objetivos comuns, só pode levar ao fracasso e à alienação.

Hollander, E.P. and Hunt, R.G. (Eds.). (1970). Current Perspectives in Social Psychology (2nd ed.). New York: Oxford University Press.

Elenco e personagens
Lion-O: Newton da Matta
Panthro: Francisco José
Tygra: Francisco Barbosa
Cheetara: Carmen Sheila
Wilykit: Marisa Leal
Wilykat: Nizo Neto
Snarf: Élcio Romar
Abutre: Luiz Feier Motta
Escamoso: André Luiz “Chapéu”
Simiano: Paulo Flores
Chacal: Older Cazarré
Broca: Antonio Patiño
Toupeira-Chefe (anteriormente “Rei Toupeira”): Orlando Prado
Bolkin (Bundun): Orlando Prado
Wollo: Orlando Drummond

Locais em destaque: Floresta, região árida nas proximidades da floresta (supõe-se que próximo às Ruínas do Tesouro) Toca dos Gatos, Castelo Plun-Darr

Veículos: ThunderTanque, Naves Navalha, Nave Voadora, Mergulhador

Comentário oficial
A premissa de “Rebelião de Chacal” é de um Mutante que se separa de seus companheiros e se torna desonesto, um conceito igualmente explorado em “A Poção de Superpoder” (com Abutre) e “Barganha de Simiano” (com Simiano). Neste episódio, é o covarde Chacal que vai sozinho tentar alcançar suas ambições covardes.

O episódio começa imediatamente no meio de uma sequência de ação com Chacal na Máquina Voadora sendo perseguido pelos outros Mutantes. É comum os Mutantes brigarem entre si, mas vê-los tentando derrubar um deles é chocante, e o escritor, Bruce Smith, imediatamente chama a atenção do espectador com esse cenário.

Infelizmente, a partir deste momento, o episódio relaxa seu controle sobre o público. Enquanto Simiano e Abutre ganham algum tipo de superpotência em seus respectivos episódios solo, Chacal não se apodera de nenhum desses fenômenos. Em vez disso, ele alista o Broca e o Toupeira-Chefe em seu “exército” e planeja assumir o controle do Terceiro Mundo. Agora, por que esses dois se uniriam ao “General Chacal” é um mistério em si. O Broca é um mercenário em “Imagem Distorcida”, que trabalha apenas por diamantes. O Toupeira-Chefe é descrito em “A Cápsula do Tempo” (ali chamado de “Rei Toupeira” pela tradução da Herbert Richers) como um tirano que faz com que o Povo Toupeira procure ouro. E como Chacal aparentemente não tem diamantes nem ouro, não está claro por que eles se aliariam ao canino renegado.

Chacal também não tem nenhum plano concreto. Ele e seus dois companheiros saltam de um objetivo para outro. O trio começa atacando os Mutantes, depois eles tentam atormentar os Bolkins e roubar os Wollos, antes de finalmente armar uma armadilha para os ThunderCats. De fato, os ThunderCats têm mais um papel coadjuvante, sendo lançados neste episódio principalmente para preencher as lacunas para que o episódio pudesse durar 22 minutos. Todo o ato do meio da “Rebelião de Jackalman” é apenas um confronto frequente e pouco dramático entre os heróis felinos e o exército de Chacal.

Até a animação impressionante falha em elevar esse episódio a um status mais proeminente. Talvez uma das maiores falhas de “Rebelião de Chacal” seja que, enquanto Abutre e Simiano genuinamente evocam medo em seus episódios em rebeldia, Chacal falha em fazê-lo e não passa de um incômodo em seu episódio de mesmo nome.

Escrito por Wilycub

Curiosidades

  • A roupa de Chacal passou por uma pequena modificação apenas neste episódio em particular. Ele tem uma estrela na fivela da tira do peito e usa botas em vez de ficar descalço.
  • Curiosamente, vemos que os ThunderCats têm um feed de vídeo direto de dentro do Castelo Plun-Darr a la “Big Brother”. Nunca é explicado como eles conseguiram obter esses recursos visuais e por que eles não usariam o feed para descobrir os planos dos Mutantes antes.
  • No final, os ThunderKittens exclamam que nunca perdoariam nenhum dos ThunderCats adultos se algum deles deixasse o grupo. Ironicamente, são os próprios ThunderKittens que se tornam os desertores em “Fujões”.
  • Na mesma cena, quando WilyKit e WilyKat não mencionam o nome de Snarf, a babá peluda retruca dizendo: “Eu notei que nem falam do velho Snarf”. Essa mesma frase foi proferida por Snarf no episódio piloto “Êxodo” também.
  • As vozes do Bolkin e do Toupeira-Chefe foram executadas por Orlando Prado, que usou um som diferente para cada um. A semelhança é reconhecível, mas tenuamente, já que este é o único episódio em que os dois personagens aparecem juntos.

Texto extraído de thundercats.org com tradução, complementos e adaptações de Luciano Marzocca